À conversa com os nossos clientes – Locape

A Gráfica Locape teve o seu início a 1 de maio de 1992 com os sócios: António Lopes, Paulo Pereira e Pedro Cardoso. Passados 21 anos continuam em conjunto.

A empresa tem crescido de forma gradual e cuidada, de tal modo que mesmo em plena crise, a Locape é PME Líder e Excelência. Recentemente adquiriu mais um equipamento de Impressão Offset e está prestes a ampliar as suas instalações. Dispõe de um quadro de pessoal composto por 16 elementos que já se mantém há alguns anos. Assim e apesar de todas as adversidades, a Locape é uma empresa sólida que cumpre estritamente com todos os seus compromissos.

BeanStalk:
De que forma nasceu a sua paixão pelas Artes Gráficas?
António Lopes:
A minha paixão pelas Artes Gráficas nasceu tinha eu 8 anos, quando o meu tio me levou a visitar a gráfica onde trabalhava (Guide Artes Gráficas). Depois de muitas “viagens” com o meu primo em cima do Porta-Paletes, já cansados fomos fazer uma visita guiada pelas várias secções. Fiquei fascinado com a composição manual, com tantas letrinhas soltas e a velocidade com que os senhores construíam as palavras. Foi uma experiência que me marcou de tal modo que, na semana seguinte ao fazer uma redação na escola sobre o que queria ser no futuro, não tive dúvidas e escrevi tanto sobre o assunto que a professora ao corrigir me perguntou, de onde é que eu tinha retirado tanta informação. Respondi-lhe de imediato ‘Foi na gráfica do meu tio e é o que eu quero ser quando crescer’.

BeanStalk:
Qual é a sua visão relativamente às mudanças a que se tem assistido nos últimos tempos no mercado gráfico?
AL:
O mercado gráfico sofreu alterações profundas nos últimos anos. Na última década, a maioria dos industriais gráficos investiu, em demasia, em novos equipamentos. O parque das máquinas em Portugal passou, na minha opinião, a ser excessivo. A capacidade produtiva aumentou de tal modo que o custo da produção caiu para valores ridículos, esquecendo muitos colegas como os equipamentos nos custam verdadeiras fortunas. As empresas têm, hoje em dia, muito mais dificuldade em sobreviver. Privadas do acesso ao crédito, o resultado tem sido o encerramento de muitas.

BeanStalk:
Quais são os aspetos diferenciadores da Locape e em que medida se molda às novas exigências?
AL:
A Locape instalou há cerca de 10 anos o primeiro equipamento de finalização de mailing adquirido em Portugal. Produzimos durante anos muitos milhões de exemplares para muitas gráficas de norte a sul do país. Ainda hoje continuamos, mas atualmente esse tipo de produto tem tiragens demasiado baixas para os tempos de afinação do equipamento. Hoje em dia existem duas situações que nos distinguem da esmagadora maioria das empresas do setor: Não temos comerciais, todos os clientes contactam diretamente com os sócios da empresa e outro elemento diferenciador é o facto de sermos sempre um dos três sócios a aprovar e acompanhar a produção de todos os materiais produzidos. O controlo da qualidade é acompanhado do início ao fim do processo de produção e o resultado final é, regra geral, do agrado do cliente.

BeanStalk:
De acordo com as mudanças que se fazem sentir, em que medida julga ser vantajoso a aquisição de um software de gestão exclusivo para as Artes Gráficas?
AL:
A Locape adquiriu o Gestão Gráfica no final de 2005. Era então o GG8 e durante os primeiros dois meses só orçamentámos. Em janeiro de 2006 começámos a faturar, logo de seguida fizemos a atualização para o GG9 e passado muito pouco tempo percebemos que tudo na empresa tinha de passar pelo Gestão Gráfica. Foi, sem dúvida, um grande passo em frente, com um programa construído por pessoas conhecedoras do meio, feito de base e em exclusivo para as Artes Gráficas e só podia, de facto, ser a aposta certa. Para quem pretende saber, com rigor, quais são os custos reais de produção é uma ferramenta ideal.

BeanStalk:
Considera que as funcionalidades implementadas ao longo do desenvolvimento do GGWEB Print estão de acordo com as solicitações deste mercado específico?
AL:
O GGWEB Print é um programa que não nos deixa “improvisar” como o GG9. Dá um pouco mais de trabalho a parametrizar, mas é muito mais rápido e fiável na execução. É, de facto, uma excelente ferramenta. Com a grande vantagem de ter profissionais profundamente conhecedores das nossas necessidades e de estarem sempre disponíveis para ajudar a ultrapassar uma ou outra dificuldade ou ajuste, que seja necessário fazer. Esse é, de facto, do meu ponto de vista, a grande mais-valia da BeanStalk. Na Locape prezamos tanto a relação com o cliente como com o fornecedor.