3 dicas para controlar os desperdícios na sua gráfica

3 dicas para controlar os desperdicios na sua grafica

O ponto crítico numa empresa gráfica passa naturalmente pela área produtiva. A produção dos trabalhos é o culminar de todo um processo anteriormente realizado, o qual, se não for bem executado, poderá refletir-se em aspetos negativos e prejudicais para a permanência da gráfica num mercado tão competitivo.

A nossa experiência no mercado gráfico reflete-se num profundo conhecimento das necessidades reais do mesmo, solucionando os obstáculos que o mercado impõe às empresas gráficas. Uma das grandes preocupações dos responsáveis gráficos que nos têm procurado, é conseguir controlar os desperdícios na produção dos trabalhos, pois têm consciência de que este é um ponto crítico que contribui, seriamente, para o desempenho da gráfica. É nesta linha de pensamento que decidimos partilhar 3 dicas que contribuem para a resolução deste problema.

1 Elaboração de um orçamento gráfico rigoroso

A elaboração rigorosa do orçamento é, sem dúvida, uma parte integrante do sucesso de qualquer empresa gráfica. É nele que são previstos todos os custos que um determinado trabalho poderá apresentar, sendo, por isso, imprescindível a elaboração correta do mesmo. No entanto, o custo de produzir um trabalho não se pode centralizar apenas na matéria-prima que é necessária, pois o custo real vai muito para além disso: São as matérias-primas, os equipamentos, a mão-de-obra, as subcontratações, os custos indiretos (água, eletricidade) e os desperdícios. Torna-se fundamental descriminar todos os custos que iremos suportar com a produção do trabalho, de modo a assegurar que a empresa não seja prejudicada a longo prazo.

2 Controlo efetivo dos valores reais da produção

O registo de produção é o único meio de controlar o que efetivamente está a ser produzido e consultar igualmente obras antigas que já se encontram concluídas. Esta hipótese permite analisar detalhadamente o que foi previsto no orçamento com o que realmente foi produzido. Assim, sem dúvida alguma, é neste ponto que são detetados os pontos fracos e possíveis anomalias na área produtiva, refletindo-se numa importante mais-valia para as decisões estratégicas, contribuindo para a melhoria e competitividade da empresa.

3 Acompanhamentos dos desvios

Acompanhar e comparar a produção real de um determinado trabalho com o orçamentado torna-se concretizável com o desempenho rigoroso dos dois pontos anteriores. É nesta posição que temos acesso a toda informação do que realmente gastamos para produzir qualquer trabalho gráfico: quantidade de papel, tintas, verniz; custo dos fornecedores e tempo de resposta; tempo de mão-de-obra e de todos os equipamentos, traduzindo igualmente o valor dos custos indiretos. É neste ponto que tomamos consciência do custo real que o trabalho apresentou, podendo ajustar os orçamentos de futuros trabalhos de acordo com os dados, resultando na diminuição visível dos desperdícios na produção dos trabalhos e, consequentemente, num aumento do lucro real da empresa.

Concorda com estas nossas dicas?